b

b

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Funcionários dos Correios devem entrar em greve na quinta-feira


Os trabalhadores dos Correios - carteiros, atendentes, operadores de triagem e transporte e membros do setor administrativo - no Maranhão deverão entrar em greve por tempo indeterminado a partir de amanhã,27. De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e Similares (Sintect) do estado, a decisão final sobre o movimento será homologada em assembleia a ser realizada hoje,26, a partir das 22h, na sede da entidade, na avenida M, bairro Radional.
Caso seja confirmada, mais de 1.800 trabalhadores no Maranhão deverão cruzar os braços. Procurada por O Estado, a assessoria da direção regional dos Correios no estado informou que aguardará o resultado da assembleia. No entanto, adiantou que mesmo com a greve os serviços considerados prioritários – como o Sedex – deverão ser mantidos. Ainda de acordo com a regional, poderá haver atraso apenas na entrega de contas ( água, luz e telefone).

Segundo a direção do Sintect, a greve deverá ser motivada por alguns fatores, tais como a falta de condições dignas de trabalho, descumprimento de cláusulas do acordo coletivo de trabalho, e a possibilidade de privatização da empresa. A entidade diz ser contrária às reformas da Previdência e Trabalhista, que estão em discussão no Congresso Nacional.

A última greve dos Correios com grande mobilização no estado ocorreu em setembro de 2015. Na ocasião, os serviços de entrega de encomendas e cartas não foram comprometidos. Na ocasião, os líderes da greve (que foi seguida por trabalhadores de outros estados ) exigiam reajuste salarial de 11%, além de elevação em benefícios, como o vale-alimentação e auxílio-creche.

Outro caso

Em dezembro do ano passado, ainda de acordo com o Sintect, houve paralisação dos trabalhadores dos Correios apenas em uma agência da empresa, situada no bairro Ivar Saldanha, em São Luís. A unidade é considerada referência na cidade, já que distribui a maior parte das encomendas destinadas à capital maranhense.

Mais

Motivos para a greve

- Falta de condições dignas de trabalho

- Descumprimento de cláusulas do acordo coletivo de trabalho

- Possibilidade de privatização da empresa

- Discordância das reformas da Previdência e Trabalhista

Fonte: Sintect