segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

Jornalista português detido no aeroporto foi questionado sobre vacinas e ditadura do Judiciário

O jornalista Sérgio tavares entrevistou Jair Bolosnaro em seu canal do YouTube| Foto: Reprodução/YouTube

O jornalista português Sérgio Tavares, que ficou detido temporariamente no Aeroporto de Guarulhos na manhã deste domingo (25), se mostrou indignado com a atitude de Policia Federal. Tavares veio ao Brasil para participar da manifestação convocada pelo ex-presidente Jair Bolsonaro na Avenida Paulista, em São Paulo e teve seu passaporte apreendido pela PF

"Foi uma loucura. Qual a justificativa de um cidadão europeu, português que veio aqui para mostrar a democracia ficar por quatro horas sendo questionado sobre Flávio Dino, sobre Alexandre de Moraes, sobre vacinas, sobre a ditadura do Judiciário?", questionou em entrevista à colunista Cristina Graeml da Gazeta do Povo, durante a manifestação.

Segundo o jornalista, o episódio demonstra a preocupação das autoridades com que o mundo saiba "o que está a passar neste país". "E garanto que o mundo vai saber. Não vou dizer aqui, mas vou dizer quando chegar lá. Por que lá eu tenho liberdade de expressão," afirmou.

O assunto ganhou repercussão internacional. O jornalista de esquerda norte-americano Glen Greenwald relatou, no seu perfil no X (antigo Twitter) a detenção de Tavares, informando que o português havia entrevistado Bolsonaro há poucos dias. O ex-presidente fez críticas à falta de liberdade de expressão no Brasil durante a entrevista.

Na Avenida Paulista, Tavares disse não ter dúvidas de que a atitude terá consequências. "Vou dizer nome por nome, palavra por palavra. Acabou-se a impunidade. E todos serão punidos, nem que seja daqui a dez anos, vinte ou trinta anos. Ou nem que seja por julgamento divino", completou.

"Eu vou garantir que a Europa e o mundo vão saber a verdade sobre o Brasil. O mundo vai saber que vocês precisam de liberdade", discursou Tavares.

Em Portugal, o partido Alternativa Democrática Nacional (ADN) pediu a intervenção imediata do presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, e da Embaixada de Portugal no Brasil contra o que considerou uma “perseguição fascista de uma extrema-esquerda que apoia o presidente Lula”.

Por Rose Amantéa da Gazeta do Povo. 

Nenhum comentário:

Jovem sofre tentativa de homicídio durante festa em Chapadinha

Nas primeiras horas de hoje (20), um homem identificado por J. A. F., 22 anos anos de idade, residente na Vila Liberdade,  sofreu uma Tentat...