quarta-feira, 28 de julho de 2021

Policial militar é preso por assassinar médico durante festa em Imperatriz



Foi preso na tarde desta terça-feira (27), o soldado da Polícia Militar do Maranhão (PM-MA), Adonias Sadda, suspeito de assassinar a tiro o médico Bruno Calaça Barbosa, de 24 anos, em Imperatriz. A informação foi confirmada pelo secretário estadual de Segurança Pública, Jefferson Portela.
O soldado da PM estava foragido desde a madrugada de segunda-feira (26), dia do crime, e foi preso em uma residência em Imperatriz. De acordo com Jefferson Portela, o soldado não reagiu a prisão.

“Nós fizemos o que o sistema de segurança faz. As cidades próximas a Imperatriz foram monitoradas, e a própria Imperatriz também e, conseguimos realizar um trabalho integrado dos órgãos de segurança para a captura do soldado”, disse Portela, em entrevista a rádio Mirante AM.

Segundo o secretário, as investigações agora vão tentar apurar a motivação do crime e, se o soldado contou com ajuda para fugir do local e se esconder. Além disso, também serão investigadas as circunstâncias da realização da festa que, segundo o secretário, era considerada ilegal.

“Vamos agora pontar as circunstâncias dos fatos, até o ato final com o disparo contra a vítima. Depois, a fuga do local dos fatos (…) e também, porque essa festa acontecia fora do horário permitido. Porque essa festa é considerada por nós ilegal, descumprindo as regras de horário e outras regras sanitárias”, disse o secretário.

O secretário afirmou que novas testemunhas do caso, que estavam na festa, serão ouvidas pela Polícia Civil. Após a prisão, Adonias Sadda foi conduzido para a Delegacia Regional do município, para prestar esclarecimentos sobre o caso.

Portela afirmou que ainda na noite desta terça-feira será realizada uma reunião para definir se o soldado vai permanecer preso em Imperatriz ou será transferido para São Luís.

Decano do TJ anula decisão e suspende investigação do Gaeco contra Josimar

O desembargador decano do Tribunal de Justiça do Maranhão, Antônio Fernando Bayma Araujo, anulou os efeitos da operação Maranhão Nostrum, d...