quinta-feira, 8 de junho de 2017

Mulher é morta a facadas na frente do filho, por não aceitar voltar com o ex:

Adriana dos Santos foi morta a facadas pelo ex-companheiro
Adriana.jpg
Adriana dos Santos, 21 anos, natural de Piripiri, do povoado Palmeira dos Urquizas, é mais uma vítima de feminicídio no Brasil.
A piripiriense residia na cidade de Suzano, no Estado de São Paulo, e foi assassinada pelo ex-marido na noite de ontem.
Segundo vizinhos, o crime foi na frente do filho do casal, de 7 anos. Testemunhas ainda contaram que os dois tinham se separado há cerca de dois meses e o homem não aceitava a separação. O suspeito também ficou ferido e foi levado para a Santa Casa do município.
Segundo informações, o acusado desferiu várias facadas em Adriana e, após o crime, tentou tirar a própria vida.
As informações do boletim de ocorrência registrado na Delegacia Central de Suzano, dão conta de que policiais militares chegaram ao local do crime, na Rua Marcílio Alves de Carvalho, por volta de 21h. Eles encontraram o homem deitado no chão inconsciente, com ferimentos na região do tórax. A mulher estava sendo socorrida por vizinhos e uma faca estava a cerca de 4 metros do suspeito.
De acordo com a polícia, logo depois chegou socorro para o suspeito, que foi levado para a Santa Casa. A vítima morreu a caminho do hospital.
Francisco José, 31 anos, conhecido como “Pequeno”, está internado na Santa Casa de Suzano, e tenta sobreviver. Ele também é natural de Piripiri, da localidade Vertentes.
Pequenoo.jpg
Duas testemunhas prestaram depoimento à polícia. Uma vizinha, de 26 anos, que mora no mesmo terreno que a vítima, contou que ouviu gritos de socorro da vítima e do filho dela, de 7 anos. Ela disse que correu para ajudar e encontrou o montador em cima da vítima, com uma faca nas mãos. A testemunha disse que tentou tirar a mulher agredida de baixo do homem, mas não conseguiu. Ela então pegou a criança, levou para a sua casa e ligou para a polícia e para o resgate. A vizinha disse que ouviu o homem gritar: “Agora é minha vez!”.
Ao voltar, já não havia barulho e encontrou os dois ensanguentados e caídos no quintal. Uma outra vizinha que tem conhecimento em enfermagem a orientou e ela percebeu a mulher tinha pulso fraco. Já o homem se mexia. Ela contou que chutou a faca para longe e que o marido dela levou a vítima para o hospital. Mas, segundo a polícia, ela morreu a caminho da Santa Casa.
O marido da testemunha, um metalúrgico de 33 anos, contou que estava dormindo e foi acordado pelos gritos de socorro e pelo barulho. Ele também viu o montador agredindo a mulher e tentou ajudá-la, mas disse que o homem estava descontrolado. O metalúrgico ainda contou que o homem não aceitava a separação e as novas amizades da mulher.
Os policiais foram até o hospital, mas não foi possível interrogar o montador porque ele estava inconsciente. O homem foi preso em flagrante, mas como estava inconsciente, segundo a polícia, ainda não foi informado.

Familiares estão desesperados e tentam trazer o corpo para Piripiri.