b

b

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

CRISE FINANCEIRA! Prefeitura cancela carnaval em Santa Inês


G1MA
Prefeita Vianey Bringel

Prefeita Vianey Bringel
Os foliões que residem no município de Santa Inês, a 250 km de São Luís, não poderão contar pelo o segundo consecutivo com a festa momesca na cidade. A decisão foi anunciada em uma entrevista coletiva convocada pela prefeita Vianey Bringel (PSDB).Segundo a prefeita, Santa Inês está enfrentando uma crise financeira, o que está impossibilitando a realização do carnaval. “Infelizmente o município não tem condições financeiras para bancar um carnaval. Primeiramente podem até perguntar ou dizer ‘mas a senhora prometeu em campanha fazer as festas comemorativas do nosso município’, mas Santa Inês hoje deve dos Correios a Caema. Todos os setores aqui todo dia tem uma surpresa. É um convênio que é publicado fora da data, no mandato de outro gestor, no valor de 22 milhões. Não é brincadeira”, revelou.

Vianey Bringel afirmou também que está buscando meios para tirar o município da crise e acrescenta que espera poder programar uma festa no aniversário da cidade que será comemorado no próximo dia 14 de março.
“Eu vou ver se daqui até o dia 15 eu consigo limpar todas essas pautas devedoras como Correios, Caema, para vê se a gente consegue um convênio para o aniversário da cidade. Agora também o convênio é em base de 150 mil a 200 mil. Uma festa dessas com esse valor você não pode esperar nenhuma grande festa porque não dá”, disse a prefeita de Santa Inês.
Prejuízo no comércio
Com o carnaval cancelado, alguns setores já começam a sentir os reflexos. Como é o caso dos comerciantes que aproveitavam o período para aquecer o faturamento.
O lojista Cícero Batistas diz que sem a festa momesca, a expectativa a partir de agora no município é de que tenha uma queda significativa nas vendas.
“O carnaval é uma perspectiva que a gente tem de melhora. Só que infelizmente na cidade não vai ter já começa ruim. Aí vem março, vem abril tudo ruim. O carnaval na realidade vai nos fazer muita falta”, desabafou.
Mas nem todos os setores do comércio estão sendo afetados. Nas malharias, o cancelamento do carnaval não irá afetar tanto. É que algumas delas, que confeccionam abadas para mais de 30 municípios, o proprietário precisa até dobrar o número de funcionários para poder realizar as entregas.
Júnior Aguiar, gerente de uma malharia na cidade, diz que por contas das prévias de carnaval houve um aumento na produção. “Graças a Deus aqui em Santa Inês teve vários donos de blocos que estão fazendo essas prévias de carnaval em locais privativos e, inclusive, teve um agora que aconteceu domingo passado e fizeram todos aqui”, finalizou.