b

b

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Bomba, Bomba e Bomba! Caso Décio Sá reacende e empresário Marcão Regadas ficará frente a frente com Júnior Bolinha



Júnior Bolinha e o empresário Marcão Regadas
Júnior Bolinha e o empresário Marcão Regadas
O caso do jornalista e blogueiro Décio Sá – executado brutalmente em abril de 2012, reacendeu. Dois suspeitos pela morte de Décio vão ficar frente a frente na Justiça.
O juiz titular da 6ª Vara CRIMINAL, Antônio Luiz de Silva Almeida, vai intimar o acusado de ser agenciador do assassinato do jornalista e ex-empresário José Raimundo Sales Chaves júnior, o “Júnior Bolinha”, para prestar depoimento no dia 22 de janeiro do próximo ano.

Bolinha vai ficar ‘cara a cara’ com o empresário e dono da construtora Franere, Marcos Regadas, o Marcão. Também foram arrolados no processo COMO testemunhas o deputado estadual Raimundo Cutrim e o promotor Fernando Barreto.
A decisão do juiz foi em razão de um processo que Marcão move CONTRA4 jornalistas, que noticiaram a carta em que Júnior Bolinha acusa o empreiteiro de participação no CRIME de Décio Sá.
Marcão Regadas ingressou na Justiça contra os jornalistas para que não citasse mais seu nome em nenhuma matéria: seja favorável ou desfavorável. Ocorre, que o juiz Antônio Luiz considerou a ação do empresário uma censura. E disse: “impedir alguém de falar, não pode”.
A defesa do dono da Franere tentou impugnar a convocação das testemunhas, mostrando uma certa preocupação. O juiz indeferiu o PEDIDO de impugnação, baseando-se na liberdade de expressão.
Agora o empresário Marcão Regadas vai ter que ouvir o que as testemunhas terão para revelar sobre a verdade no assassinato do jornalista Décio Sá.
Abaixo a imagem da carta que Júnior Bolinha escreveu acusado o dono da Franere pela morte do blogueiro:
Marcão Regadas
Marcão Regadas 2